Gestantes e o cinto de segurança

As gestantes, devem usar o cinto de três pontos, que dissipa a energia e o impacto sobre a estrutura esquelética do tórax e da pelve. A parte diagonal deve passar no meio do ombro e entre as mamas e a parte sub-abdominal deve ficar exatamente na articulação do quadril, assim as cintas não passarão em cima da criança, pois o uso correto protege a gestante e o feto, porque nos traumas severos pode ocorrer rotura uterina, causando a morte fetal e materna, rotura prematura de membranas, trabalho de parto prematuro, hemorragia feto materna, fratura pélvica, etc.

Outro aspecto importante e que, mesmo com o cinto de segurança a desaceleração do veículo pode gerar o deslocamento da placenta causado pela deformação do útero elástico sobre a inelasticidade placentária, daí o feto e/ou a mãe podem morrer de coagulopatia ou insuficiência renal aguda. Este fator leva os médicos a orientarem algumas gestantes (se isto for necessário), para que não conduzam veículos nos últimos dois meses de gravidez, devido os fatos anteriormente relatados. E também, seis semanas pós parto, porque ocorre um decréscimo das respostas músculo esqueléticas na mulher neste período.